domingo, 14 de fevereiro de 2021

BOLO DO AMOR PERSA





Mesmo a tempo do dia de S. Valentim, trago-vos este bolo, diretamente do Médio Oriente, aromático e exótico, que reúne o cardamomo à água de rosas, os sabores cítricos à amêndoa... 

Reza a lenda que na antiga Pérsia uma mulher se apaixonou por um príncipe e preparou-lhe este bolo, cheio de poderes mágicos e afrodisíacos na tentativa de conquistá-lo. Se resultou ou não, não se sabe, mas na dúvida, aqui fica a sugestão, porque não experimentar?!....

De entre várias receitas disponíveis on-line, optei por esta, diretamente do site da Nigella. Depois de experimentar sugiro apenas algumas alterações, colocando um pouco mais de cardamomo e água de rosas, assim como acrescentar o sumo de laranja á calda.

Para o bolo:
200 grs manteiga
150 grs açúcar branco
4 ovos médios
100 grs de farinha de trigo
275 grs de amêndoa moída
raspa e sumo de um limão
16 cardamomos (posteriormente moídos)
2 colheres de sopa de água de rosas
1 colher de chá de fermento em pó
Pitada de sal

Para a calda:
2 colheres de sopa de açúcar
Sumo de um limão e de uma laranja
1 colher de sopa de água de rosas

Para decorar:
Icing Sugar
Pistácios
Pétalas de rosa

Numa tigela misture bem a manteiga e o açúcar, acrescentando, então, os ovos batidos. 

Adicione a farinha, a amêndoa, o cardamomo moído, a raspa e casca de limão, a água de rosas, o fermento e o sal. Mexa bem.

Coloque o preparado numa forma de 22 cms previamente untada com manteiga, levando-a ao forno pré-aquecido a 160ºC durante cerca de 45 minutos.

Para a calda, leve ao lume o açúcar, o limão e a água de rosa, deixando em lume brando até que o açúcar se dissolva. 

Assim que retirar o bolo do forno, pique-o com um palito e deite a calda por cima.

Depois de frio, ao servir, polvilhe com o açúcar em pó, os pistáchios cortados e as pétalas de rosa.

Happy Valentine's Day!...





segunda-feira, 8 de junho de 2020

DOCE DE PHYSALLIS COM ANIS ESTRELADO



  Quando falamos de doces, pensamos sempre nos mais corriqueiros e fáceis de encontrar. Pois bem, desta vez proponho-vos um doce de physallis com anis estrelado, o que lhe confere um toque especial e ainda mais exótico. Perfeito para acompanhar umas simples bolachinhas ou uma seleção de queijos. 

500 grs de physallis
250 grs de açúcar amarelo
2 estrelas de anis

Coloque todos os ingredientes num tachinho em lume médio e deixe levantar fervura. Reduza a temperatura e mexa ocasionalmente.

Faça o teste para saber se o doce está no ponto, colocando uma colherzinha num prato e, se conseguir "fazer uma estradinha", o doce está pronto. 

Retire do lume e coloque num frasco esterilizado, fechando-o hermeticamente.



 



domingo, 24 de maio de 2020

KLADDKAKA - E O CONCEITO ESCANDINAVO DE FIKKA...





Aqui há tempos falei-vos aqui do conceito "Hygge", que promove um sentimento de conforto, aconchego e plenitude oriundo da Dinamarca e que preconiza um dos segredos para se ser  feliz

Hoje trago o conceito sueco e finlandês de "Fikka", que consiste basicamente, na ideia de se fazer um intervalo no trabalho para tomar café, comer qualquer coisa e estar um pouco com amigos, colegas ou familiares. Uma oportunidade quer para estabelecer e fortalecer relações, quer para dar tempo de modo a processar a informação e diminuir o stress no trabalho. 

Um conceito descontraído e, também ele de partilha e de convívio

Normalmente o café é acompanhado de um bolo, biscoito ou algum pão doceKladdkaka, o bolo que vos trago hoje, é o bolo preferido dos suecos para estes intervalos. Kladd é uma palavra sueca que significa "pegajoso", o que nos diz que este é um bolo húmido e irresistível..

Vamos a isso? 


100 grs manteiga
2 ovos
300 grs açúcar branco
150 grs farinha
4 colheres de sopa de cacau em pó
1 colher de sopa de açúcar baunilhado
Pitada de sal

Derreta a manteiga e deixe arrefecer ligeiramente.

Bata os ovos com o açúcar até obter uma massa pálida e fofa.

Acrescente a farinha e o cacau peneirados. Adicione o sal e a manteiga e incorpore bem. 

Coloque numa forma forrada e leve ao forno cerca de 20 minutos a 180ºC.

Deixe arrefecer o bolo durante 1 hora e só depois o desenforme.


sexta-feira, 15 de maio de 2020

LAYALI LUBNAN, PUDIM DE SEMOLINA LIBANÊS


    
  Da última vez deixei-vos aqui uma sugestão que chegou do Médio-Oriente e, hoje, continuando na mesma linha, é a vez da sobremesa... 

  Este pudim, bem aromático e perfumado, faz-nos viajar, mesmo sem sair de casa. Experimentem!

 2 latas de leite de coco
3 1/2 chávenas leite
3/4 semolina fina
Pitada de sal
1/2 arandos secos
2 colheres de chá de água de flor de laranjeira
2 colheres de chá de água de rosas
1/2 colher de chá de raspa de laranja
3/4 pistáchios picados

CALDA:
3/4 chávena de açúcar
1/2 chávena de água
Sumo de laranja ou de limão
1/2 colher de chá de água de flor de laranjeira
1/2 chávena de água de rosas


Coloque as latas de leite de coco no frigorífico por algumas horas antes de começar a receita. Ao abrir a lata, aproveite apenas a parte sólida e bata-a com uma batedeira até ficar fofinha. Reserve. 

Num tacho coloque ao lume o leite, a semolina e o  sal, deixando ferver e mexendo para não pegar. Após 30 segundos de começar a borbulhar, retire do calor e acrescente os arandos, a água de flor de laranjeira, a água de rosas e a raspa de laranja. 

Coloque a mistura numa taça grande ou em tacinhas individuais e deixe arrefecer. Cubra com o creme de coco batido e leve ao frigorífico pelo menos 2 horas.  

Faça a calda colocando o açúcar e a água num tachinho em lume médio. Quando começar a ferver, baixe a temperatura e deixe ferver 5 minutos. Retire do lume e adicione o sumo de laranja e/ou limão, a água de flor de laranjeira e a água de rosas. Deixe arrefecer.

Ao servir, regue com a calda e polvilhe com frutos secos picados.





segunda-feira, 11 de maio de 2020

FATAYER E UM REGRESSO...



    
    Olá a todos, após muitos meses de ausência... muita coisa mudou na minha vida e o tempo foi ficando cada vez mais escasso, ao ponto de não conseguir manter este espaço minimamente atualizado. Aproveitando agora alguns momentos, retomo e deixo aqui uma sugestão que nos chega do Médio Oriente. 

  Não vou falar aqui das nossas novas restrições diárias, quer a nível pessoal, quer profissional, mas deixo-vos apenas uma ideia. Se não podemos viajar lá fora, experimentar novas coisas e novas experiências, porque não viajar na nossa cozinha e fazer de cada refeição um momento de evasão?

    Pois bem, nas fatayer, trago um recheio de queijo feta e espinafres, mas que pode ser substituído por qualquer outro à vossa escolha... A massa, essa, recomendo, pois fica ótima!...

Ingredientes:

Massa:
350 grs de farinha de trigo branca
7 grs de fermento em pó 
1 colher de sopa de açúcar branco
sal q.b.
1 chávena de leite gordo 
80 ml azeite

Recheio: 
Espinafres
Cebola
Azeite
Sal/Pimenta q.b.
Cominhos em pó q.b.
Canela em pó q.b.
Queijo Feta


Comece por preparar a massa. Coloque a farinha numa taça e faça um buraco no centro. Acrescente o fermento, o açúcar e o sal. Misture os ingredientes secos e acrescente o leite e o azeite. 

Misture bem e amasse durante aproximadamente 5 minutos. Cubra e deixe a massa repousar durante 15 minutos. 

Enquanto isso prepare o recheio. Numa frigideira coloque o azeite, a cebola cortada em cubinhos, o sal, pimenta, canela e cominhos, a gosto e deixe refogar em lume brando cerca de 1/2 minutos. 

Acrescente os espinafres e o queijo feta desfeito em pedacinhos. Misture bem e retire do lume.

Prepare, agora, a massa, estendendo-a e cortado rodelas com aproximadamente 15 cms de diâmetro. Coloque uma colher de recheio no meio e dobre os lados, deixando uma ponta em cima e em baixo, unindo a massa, de modo a ficar bem fechada. 

Leve ao forno a 200ºC perto de 10 a 15 minutos.